Prova Ontológica da Não-Existência de Deus

Prova Ontológica da Não-Existência de Deus

Autor: Douglas Gaskin
Fonte: DAWKINS, Richard. Deus, um delírio. Tradução de Fernanda Ravagnani. — São Paulo: Companhia das Letras, 2007. (pp. 119-220)

1. A Criação do mundo é a realização mais maravilhosa que se pode imaginar.

2. O mérito de uma realização é o produto de a) sua qualidade intrínseca e b) da capacidade de seu criador.

3. Quanto maior a incapacidade (ou desvantagem) do criador, mais impressionante é a realizalção.

4. A desvantagem mais formidável para um criador seria a inexistência.

5. Portanto, se supusermos que o universo é o produto de um criador existente, podemos conceber um ser maior – quer dizer, aquele que criou todas as coisas sendo inexistente.

6. Um Deus exitente, portanto, não seria um ser maior que o qual não se pode conceber outro ser, porque um criador ainda mais formidável e incrível seria um Deus que não existe.

Portanto:

7. Deus não existe.

Anúncios

5 Comentários

  1. Olha cara,o que você usou aí foi pura retórica.As coisas não vão bem por aí e isso só é uma prova de sua cabeça.Não há provas de nada!

    • Eu sei que não há prova de nada aí. Santo Anselmo da Cantuária, na era medieval, formulou a “Prova Ontológica da Existência de Deus” que não provava coisa alguma. Douglas Gaskin usou da mesma lógica, da mesma estrutura de raciocício de Santo Anselmo para formular a “Prova Ontológica da Não-Existência de Deus”. A idéia não é provar que Deus não existe (como pode ver, ele não provou nada), mas sim satirizar a “prova” de Santo Anselmo.

  2. mano valeu seu texto salvo meu trabalho, tambem ta fodão

  3. A nossa imaginação e raciocínio criam e descriam o que for.

  4. Deus já tem sido uma entidade imaginária chata e repetitiva. O politeísmo é muito mais rico em imaginação.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Calendário

    junho 2010
    D S T Q Q S S
    « abr   nov »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    27282930  
  • Livros relacionados com o tema

    Bertrand Russell - “Porque não sou cristão”
    Christopher Hitchens - “Deus não é grande”
    Daniel Dennett - “Quebrando o encanto”
    Júlio José Chiavenato - “Religião: da origem à ideologia”
    Michel Onfray - “Tratado de ateologia: física da metafísica”
    Richard Dawkins - “Deus, um delírio”
    Sam Harris - “Carta a uma nação cristã”

  • Albert Einstein

    “Não posso imaginar um Deus a recompensar e a castigar o objeto de sua criação. Não posso fazer idéia de um ser que sobreviva à morte de seu corpo. Se semelhantes idéias germinam em um espírito, para mim ele é um fraco, medroso e estupidamente egoísta.”
  • Dan Baker

    “Sou ateu porque não há evidência para a existência de Deus. Isso deve ser tudo que se precisa dizer sobre isso: sem evidência, sem crença.”
  • Joan Robinson

    “Poucas pessoas se dão ao trabalho de estudar a origem de suas próprias convicções. Gostamos de continuar a crer no que nos acostumamos a aceitar como verdade. Por isso, a maior parte de nosso raciocínio consiste em descobrir argumentos, para continuarmos a crer no que cremos.”
  • Isaac Asimov

    “Se o conhecimento pode criar problemas, não é através da ignorância que podemos solucioná-los.”
  • Bertrand Russell

    “O fato de uma crença exercer bom efeito moral sobre um homem não constitui prova alguma a favor de sua verdade.”
  • Ashley Montagu

    “A ciência tem provas sem certeza. Os teólogos têm certeza sem qualquer prova.”
  • Ludwig Feuerbach

    “Sempre que a moralidade baseia-se na teologia, sempre que o correto torna-se dependente da autoridade divina, as coisas mais imorais, injustas e infames podem ser justificadas e estabelecidas.”
  • Karl Marx

    “A religião é o suspiro da criatura aflita, o estado de ânimo de um mundo sem coração, porque é o espírito da situação sem espírito. A religião é o ópio do povo.”
  • Friedrich Nietzsche

    “O homem procura um princípio em nome do qual possa desprezar o homem. Inventa outro mundo para poder caluniar e sujar este; de facto só capta o nada e faz desse nada um Deus, uma verdade, chamados a julgar e condenar esta existência.”